10 destinos para visitar em 2015

4 - Islandia - Strokkur

Para onde viajar no ano que vem? Especialista em apontar tendências no turismo top, a Teresa Perez Tours divulgou sua lista de destinos que prometem ser hotspots em 2015. Resultado das pesquisas dos consultores da operadora, que viajam o mundo em busca de novas experiências, a lista revela países como Coreia do Sul e Islândia (foto acima), e regiões como o Cáucaso. 

Seul, a Coreia do Sul contemporânea (foto abaixo): com uma combinação única de arranha-céus e templos budistas, Seul desponta como um dos grandes destinos urbanos da Ásia. Cosmopolita e jovem, essa capital oferece uma rica vida cultural, acompanhada de sua apimentada culinária de rua e ótimas compras. Entre as dicas, estão as casas de chá e lojas de Insadong e o Palácio de Changdeokgung. Hotéis? Park Hyatt, com moderna fachada de vidro e vista panorâmica da cidade, e Ritz-Carlton, que combina o tradicional e o contemporâneo com muito conforto.
10 - Seul
Naoshima, a ilha artsy do Japão: essa pequena ilha ao sul do Japão vem se destacando como destino artsy. Anualmente, recebe cerca de 400 mil visitantes em busca de suas exposições. São quatro museus e oito instalações ao ar livre de grandes artistas, incluindo obras de nomes como Yayoi Kusama (abaixo, foto da instalação Pumpkin), e a Benesse House – com hotel e museu projetado pelo consagrado arquiteto japonês Tadao Ando.
5 - Naoshima, Japao (2)
Índia, destinos zen: aqui, a busca pelos ensinamentos da ayurveda e da ioga ganha cada vez mais admiradores. O Rajastão se destaca como o berço de antigas filosofias indianas e reúne refúgios maravilhosos como o resort Amanbagh. Em Jaipur, está o Parque Nacional de Ranthambore – e sua extensa população de tigres -, onde fica o hotel Aman-i-Khás, com dez exclusivas tendas. Já o Taj Lake Palace, em Udaipur, fica em uma ilha privada em meio ao lago Pichola e oferece um spa incrível. No Himalaia, o Ananda atrai as atenções, com seu menu de mais de 80 tratamentos.
Egito, uma nova realidade: após o período instável no cenário político e social, o país volta aos holofotes do turismo mundial. Imagine um roteiro que fascina pelo legado dos faraós e também por belas praias. Um cruzeiro pelo Rio Nilo revela templos surpreendentes e vales verdejantes. Para completar, a cidade costeira de Sharm El Sheik é um verdadeiro oásis banhado pelo Mar Vermelho.
Botswana, safári na água: selvagem e muito bem preservado, o país africano é o paraíso dos safáris – sempre ao amanhecer e ao anoitecer. O destaque são os trajetos de canoa, que permitem ver de perto a diversidade de ecossistemas e a incrível concentração de animais, especialmente hipopótamos.
13 - Botswana (2)
Cáucaso, natureza, religião e modernidade (foto abaixo): ponto de encontro entre a Ásia Ocidental e a Europa Oriental, o Cáucaso é uma região que vem se consolidando no turismo. O roteiro passa pelo Azerbaijão, a Armênia e Geórgia e inclui o Mar Cáspio e as Grandes Montanhas do Cáucaso do norte. Entre as belas paisagens, descubra cidades que misturam a arquitetura contemporânea e soviética, palácios medievais, templos e mosteiros do século 10, classificados como Patrimônio Mundial pela Unesco.
16 - Caucaso
Islândia, além das expectativas: a Islândia já se firmou como destino imperdível na Escandinávia. Misture paisagens intocadas, com cachoeiras, gêiseres e vulcões, à cena cultural jovem e interessante de sua capital, Reykjavík. Não podem faltar no roteiro a praia de areia vulcânica Reynisfjara (com suas cavernas de basalto) e o gêiser Strokkur, que jorra águas a até 30 metros de altura. E a viagem inclui a observação de baleias e golfinhos e um passeio de quadriciclo pelas formações rochosas.
Rússia, aberta para os visitantes: com cada vez mais infra-estrutura para os visitantes, a Rússia oferece novos hotéis de luxuosos grupos como o Four Seasons, que inaugurou recentemente o Four Seasons Hotel Lion Palace St. Petersburg e o Four Seasons Hotel Moscow (na foto abaixo, St. Basil, Moscou). Quem escolhe conhecer as duas metrópoles encontra a nobreza dos belos monumentos e a arte do balé e da ópera, além de registros históricos da revolução que mudou o cenário político mundial no século 20.
7 - Russia - Moscow - St. Basil
Havaí, os encantos de Maui: a segunda maior ilha do Havaí, Maui (foto abaixo) guarda muitas surpresas. A começar pela natureza marcante, a visita constante das baleias e algumas das melhores áreas do mundo para a prática de snorkelling. Para completar, pedalada no vulcão Haleakala, passeio de carro pela sinuosa estrada de Hana, trilhas em praias de areia negra, piquenique em campos de lavanda e, ainda, luau com pratos típicos.
20 - Havai, Estados Unidos
Amazônia brasileira – aventura com conforto: rios, matas, terrenos alagados, planícies e planaltos, pântanos e manguezais. A experiência se completa com o conforto de um hotel na selva. Como o Anavilhanas Jungle Lodge, às margens do Rio Negro, e com gastronomia que mistura receitas amazônicas, brasileiras e internacionais. Já o Cristalino Lodge fica em uma reserva particular à beira do rio que lhe dá o nome e hospeda em confortáveis bangalôs.

Himalaias Indianos

Buddhist monks of Rinchenpong2
A Índia como você nunca viu.
Shakti são expedições exclusivas que percorrem os vilarejos dos Himalaias Indianos, hospedando-se em casas de arquitetura típica (village houses) adaptadas ao gosto dos mais exigentes viajantes. Com acomodações bacanas, decoração elegante e facilidades modernas. Na hora das refeições, um chef prepara os pratos com sabores regionais. E os programas ficam a cargo de guias locais, profundos conhecedores dessas montanhas, e visitam templos, monastérios, mercados e a cultura das comunidades rurais. Aos mais aventureiros, há trekkings, rafting e camping. Uma das expedições percorre a região do Ladahk, conhecida como o “Pequeno Tibete” (de maio a setembro); outra visita o reino budista de Sikkim (outubro a abril) e há as experiências na região de Kumaon (também de outubro a abril). Todas as viagens são feitas sob medida.  Como ir? Com operadora de luxo indiana Banyan Tours & Travels, que desenvolveu o Shakti. Programe-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHee India Shakti

Índia In & Out

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma viajante-anônima revela todas as dicas de sua jornada pela Índia.

Nova Délhi
O hotel: The Imperial
. Tome chá das 5, um must, com sanduíche de pepino e outras delícias. O spa é ótimo, assim como o restaurante Spice Route.
Imperdível: o Delhi Golf Club, que fica no centro. Você joga golfe passando por templos hinduístas. A sede é inglesa, o jardim é lindo e a noite super movimentada no bar e nos restaurantes.
Udaipur
O hotel: Taj Lake Palace, ‘The Lady of the Lake’, uma atração por si só!
Jodhpur
O hotel: Umaid Bhawan Palace. Não deixe de nadar na piscina do spa.
Imperdível: passeio de camelo pelo deserto e visita a uma fazenda de criação. Tome chá no pôr-do-sol nas dunas e não perca a aventura de 4×4 pelas areias.
Jaipur
O hotel: Rambagh Palace, antigo palácio do marajá.
Imperdível: a joalheria Gem Palace. No andar de cima, há um museu com preciosas joias dos marajás.
Agra
O hotel: Oberoi Amarvilas. Dos quartos dá para ver o Taj Mahal.
Imperdível: Taj Mahal, imponente, lindo, a maior prova de amor, mas não deixa de ser um túmulo.
Varanasi
O hotel: Nadesar Palace, um lindo palácio que abriga só dez suítes. Há charrete na porta para um passeio pelo jardim e pomar. Excelente spa.
Imperdível: passeio noturno e diurno de barco pelo Ganges e visita a pé pela cidade antiga.

Na Índia como um Marajá

Conhecer a Índia sobre trilhos, com todo luxo possível. Mordomo à disposição,  dois restaurantes de alta cozinha, um vagão transformado em bar, lounge  e club para jogos e muitas  janelas panorâmicas. É esta a proposta do mais novo trem do país, o Maharajas’ Express.  Com 20 cabines deluxe e 22 amplas suites – todas com banheiros imensos, equipadas com TV de LCD, internet, telefone com linha direta e DVD –, o trem está dando o que falar entre viajantes exigentes. Há até uma suíte presidencial. Dentre as quatro opções de roteiro o Princely India, de oito noites, vai de Mumbai para Délhi, passando por Udaipur, Jodhpur, Jaipur, Ranthambore National Park e Agra, cidade do Taj Mahal.

Kumbh Mela, Índia

  Está acontecendo na Índia o Kumbh Mela (de khumb = pote e mela = festival), o principal festival do hinduísmo, que ocorre quatro vezes a cada 12 anos na Índia, rodando por quatro cidades: Allahabad, Ujjain, Nasik e Haridwar. Cada ciclo de 12 anos inclui o Maha Kumbha Mela (maha = maior), em Allahabad, onde milhões de devotos hindus se reúnem para se banhar no Sangam, local de encontro dos rios sagrados Ganges, Yamuna e Saraswati para se purificar, naquele que é o maior festival religioso do mundo. É uma epoca sagrada para os hindus, a celebração mais importante! Milhões de pessoas se dirigem à nascente do Rio Ganges para se banhar e festejar.

Quem conseguir se banhar está livre de todos os pecados! Vai gente de toda parte do mundo. A cidade é pequena, mas são montados enormes acampamentos com tendas. Um espetáculo à parte são os homens santos do hinduísmo, que deixam os templos e refúgios para a celebração! A duração é de três meses com algumas datas especiais. O último dia é 28 de abril.