Tiradentes romântica

Lis Bleu - Tiradentes (MG) piscina

Fogão a lenha, alguns dos mais famosos queijos de Minas, comprados direto dos produtores, bolo de abóbora e pão de berinjela, só para citar dois exemplos de receitas caseiras, fazem do café da manhã da Pousada Lis Bleu o melhor início de um dia em Tiradentes, Minas Gerais. Três anos atrás, ao planejar a Lis Bleu, o casal Leonardo e Tatiana Cestari não deixou escapar nenhum detalhe. Leonardo já vinha da hotelaria e escolheu os componentes de sua pousada a dedo – do projeto arquitetônico à decoração, rústica e charmosa. Feita a partir de materiais de demolição, possui apenas 12 quartos – banheira de hidromassagem para dois e lareira são alguns dos diferenciais – e, com isso, mantém clima intimista. Uma piscina convida os hóspedes a relaxarem nos dias de calor e sol; já o frio pode ser espantado com a sauna. Sem jamais esquecer, durante a visita a Tiradentes, que as palavras de ordem nessas paragens são comer, descansar e namorar – parafraseando o célebre livro. Do que mais um casal em busca de romance precisa?
Pousada Lis Bleu - quarto - Tiradentes (MG)
SE VOCÊ FOR
Onde comer: no Virada’s do Largo, Beth Beltrão prepara pratos de receitas mineiras com ingredientes colhidos da própria horta na hora, como pastéis de angu e Viradinho da Cozinheira. Já no Angatu, o jovem mestre-cuca Rodolfo Mayer faz pratos sofisticados como Namorado fresco, espuma do mar, espaguete de abobrinha e palmito de pupunha salteado no azeite de carvão. Na sobremesa, vá à loja do Chico Doceiro. Seus canudinhos de doce de leite são irresistíveis.
Tiradentesigreja Matriz Santo Antonio
Passeios: programas de aventura, com a Uai Trip. Passeio noturno de jardineira no centro histórico, com Luiz Fernando, pelos tels. +55 (32) 9948-2370 ou 9957-4757.

Por Flavia Perin, especial para o WHIZ

 

Pequenos hotéis sul-americanos

Antumalal Pucon Chile(6)

Garimpar pequenos hotéis incríveis no Brasil e na América do Sul – das areias paradisíacas da Península de Maraú (Bahia) às paisagens instigantes da Patagônia Argentina. É esta a missão de Roberto Farkas Bitelman, o empresário que idealizou a exclusiva coleção SUL Hotels – sigla para South American Unique Locations –, um selo focado no melhor do melhor do continente. Para ser membro (hotéis e barcos), é preciso ser pequeno, ter charme e conforto, excelente serviço, localização privilegiada, construção, instalação e décor em sintonia com a cultura do destino, valorizar a mão-de-obra local e, sobretudo, oferecer experiências únicas. Alguns deles? Hotel Los Cerros (Patagônia Argentina), Reserva do Ibitipoca (Minas Gerais) e Casa Gangotena (Quito, Equador). Vale ficar de olho nas descobertas da SUL. Mostramos as mais recentes.
Lastarria Santiago Chile (4)
Lastarria Boutique Hotel
‎ (foto acima): o hotel boutique em Santiago, Chile, fica no coração do bairro boêmio de mesmo nome. Só 14 quartos em uma casa datada de 1927 e um jardim com piscina.
Antumalal Pucon Chile(11)

Hotel Antumalal (fotos no topo e acima): Pucón e seus lagos e vulcões, ao sul de Santiago, servem de cenário para este pequeno hotel de arquitetura com influência do estilo Bauhaus. Todos os 22 quartos e chalés têm janelas panorâmicas para o lago e Parque Nacional Villarrica, há um spa caprichado e cozinha regional. Entre as atividades, fly fishing, trekking entre geleiras e vulcões e rafting.
Casa dos Arandis (2)

Casa dos Arandis (foto acima): na Península de Maraú, Bahia, a duas horas de carro de Ilhéus, só três bangalôs diante do mar. Em comum para a convivência dos hóspedes, a casa de decoração rústica e charmosa abriga salas de estar e jantar, além de duas suítes e uma grande varanda. À mesa, delícias elaboradas com ingredientes fresquinhos, da horta orgânica.

Tudo sobre Inhotim

Enfim, Inhotim. O centro de arte contemporânea em Brumadinho, interior de Minas Gerais, a 60 quilômetros de Belo Horizonte, é mesmo tudo aquilo que ouvimos falar. O acervo abrange instalações a céu aberto, galerias e pavilhões de arquitetura notável, somando 500 obras de 97 artistas de 30 nacionalidades. Chris Burden, Cildo Meireles, Tunga, Hélio Oiticica, Yayoi Kusama, Doug Aitken, Adriana Varejão… Tudo em meio ao Jardim Botânico inspirado nas ideias de Roberto Burle Marx, um oásis de mais de 4.500 espécies nativas e exóticas, cinco lagos ornamentais e a maior coleção de palmeiras do mundo. Bernardo Paz, empresário bem-sucedido do setor de mineração, foi quem idealizou esse paraíso cultural em meados da década de 80. De sua fazenda, criou-se a instituição, com abertura ao público em 2006 e 100 hectares.

Visita:
já na entrada, há uma amostra da infra-estrutura impecável. Funcionários para dar informações (todos da região), duas lojinhas (uma focada em jardinagem) e banheiros limpíssimos. Ingresso a R$ 28 por pessoa (inteira, nos fins de semana e feriados); terça, gratuito; quarta e quinta a R$ 20. Fecha segunda.

Mapa na mão, dá para programar a vista em um dia e meio. Fim de semana, se quiser. Claro que há muito para ver, mas é possível visitar tudo. A dica é fazer as rotas com carrinhos elétricos (acesso a R$ 15 por pessoa) no primeiro dia e, no segundo, as obras e galerias mais próximas da entrada. Para obter explicações detalhadas, pode-se contratar um guia (R$ 250 por duas horas) ou se juntar às visitas gratuitas (é só se informar dos horários na recepção), embora por todo canto há os funcionários que lhe explicam sobre a obra. Ou seja, dá para visitar sozinho.
Guarda-chuvas estão disponíveis pelo parque, assim como lixeiras (que parecem obras de arte!), banheiros e lanchonetes vendendo desde sorvetes a café expresso. E os bancos esculturais (foto) de Hugo França, atração à parte para relaxar e, simplesmente, admirar a paisagem linda de morrer.

Almoço? Tamboril
, bufê delicioso (R$ 55 por pessoa mais R$ 12 sobremesa), com um pouco de tudo – entre saladas, quiches, peixes, carnes e massas. Preste atenção, Bernardo Paz está sempre lá.  O outro restaurante, Oiticica, é por quilo e também de ótima qualidade. Deixe para o segundo dia. Mas se não der tempo, um hot dog ou uma pizza vão cair muito bem. Basta ver no mapa onde encontrar.
Crianças: pensou em levá-las? Vale a pena. Elas vão se divertir com a maioria das obras e os pequenos de até 5 anos não pagam entrada nem o transporte interno ou bufê nos restaurantes. Aos menorzinhos, de até 2 anos, há carrinhos disponíveis. Mas atenção às regras de “não tocar” nas salas e muitas das obras ao ar livre.

Yayoi Kusama

Obras imperdíveis
 – Galeria Adriana Varejão (espelho d’água)
– Valeska Soares (caixa de música)
– Doug Aitken (som da Terra)
– Chris Burden (escultura Beam Drop)
– Marilah Dandot (cerâmicas e mudas de plantas)
– Jorge Macchi (piscina com o alfabeto – crianças podem se molhar!)
– Galeria Cildo Meirelles (três salas, incrível obra Através, pisando em vidros, e a sala vermelha)
– Galeria True Rouge (Tunga) e todas as outras obras do artista no parque
– Matthew Barney (pavilhão com trator)
– Yayoi Kusama (bolas)
– Galeria Cosmococa (crianças adoram!)
– Galpão Cardiff & Miller (Murder of the Crows, uma viagem)
– Olafur Eliasson (obra que se baseia nos princípios do caleidoscópio e o pavilhão da bola com fonte)
– Edgard de Souza (esculturas)
– Helio Oiticica (obra Penetrável Magic Square # 5, De Luxe)
– Galeria Praça (Ernesto Neto, Janine Antoni e outros…)

Hélio Oiticica

Como chegar? Voe para Belo Horizonte e alugue um carro. Se preferir o conforto de um motorista (van no caso de grupo), a pousada/hotel providencia.
Onde dormir? Belo Horizonte ou Brumadinho? Muitos visitantes preferem ficar na capital mineira, mas há a questão do trânsito para entrar e sair da cidade. Dependendo da hora, será inevitável.

A melhor pousada da região de Brumadinho é a Estalagem do Mirante, que fica a 40 km de Inhotim por uma estrada sinuosa (trajeto feito em uma hora). Tem charme, clima de montanha e já introduz o visitante na atmosfera bucólica. Opte pelos chalés Master, que têm jacuzzi (pacote de sexta a domingo em julho a R$ 1.200 em Master; tarifas mais baratas durante a semana). Um aviso: o terreno é de declive e alguns chalés ficam longe. Você terá de enfrentar uma ladeira para ir-e-voltar. Sapatos confortáveis resolvem! A cozinha é boa, o café da manhã farto e a vista deslumbrante. Macaquinhos na janela da sala de café…

Expansão: em meados do ano que vem, Inhotim já deverá ter seu primeiro hotel, parte dos planos ambiciosos de Bernardo Paz, que incluem mais pavilhões, pousadas e restaurantes. Já em setembro de 2012 estão previstas galerias permanentes ao ar livre de Tunga, Lygia Pape e Cristina Iglesias.

Viva Inhotim

Quem ainda não foi, não pode perder a visita a Inhotim. No município de Brumadinho (MG), a 60 quilômetros de Belo Horizonte, o grande espaço cultural foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz para acolher obras de arte contemporânea. O acervo soma 500 trabalhos produzidos a partir dos anos 60 por mais de 100 artistas de 30 nacionalidades, entre escultura, instalação, pintura, desenho, fotografia, filme e vídeo (na foto, obra de Tunga). Muitas das obras estão ao ar livre, em meio ao lindo e precioso jardim botânico, cujas plantas são um acervo à parte. Lá, não perca o restaurante Oiticica, premiado por sua incrível arquitetura – projeto de Maria Paz e Thomaz Regatos. Para conhecer Inhotim, dois dias são ideais e o melhor será visitá-lo com um especialista. A partir de São Paulo, o Projeto Cultura, na Fundação Ema Klabin, e a agência Latitudes promovem viagens de fim de semana na companhia de um professor. Vale o programa!

Tiradentes em festa

tiradentes1Anote as datas: entre 19 e 28 de agosto a bela cidade mineira de Tiradentes prepara o 14° Festival de Cultura e Gastronomia. Com o tema “Nova Geração”, a ideia é reunir chefs que estão em alta no mercado nacional e artistas que representam a música brasileira, como a cantora Céu. Entre as muitas atividades gastronômicas programadas, estão os “Festins”, jantares às sextas e sábados pilotados por grandes cozinheiros. Como Enrico e Roberto Cerea, os irmãos italianos do restaurante Da Vittorio, três estrelas Michelin, situado na cidade de Brusaporto, próxima a Bergamo, no pequeno hotel Relais & Châteaux da família. Outro mestre-cuca internacional: o espanhol Paco Roncero, que representa a cozinha de vanguarda madrilenha, do restô Terraza Del Casino, duas estrelas Michelin, e do gastrobar Estado Puro. Dos brasileiros, Alex Atala (do D.O.M), Rodrigo Oliveira (Mocotó) e José Barattino (do restaurante do Hotel Emiliano). Entre outras atividades, haverá workshops de cozinha para crianças e adolescentes, feiras de ruas e espetáculos teatrais. Onde dormir? Uma das pousadas mais charmosas é a Solar da Ponte, com 18 quartos em um casarão histórico.
O festival ocorre tradicionalmente todo ano, em agosto.