À mesa em São Paulo

Eataly Sao Paulo2

Quais são os restaurantes que estão na moda na cidade? Banqueira e chef de mãos cheias, Manoela Parente faz uma seleção de novos endereços gourmets e spots badalados na capital paulista.

Eataly: o mercado gourmet italiano finalmente chega à América Latina, e o que é melhor, a São Paulo (foto acima). Fui visitar em um domingo, finalmente livre de filas. Nos moldes do Eataly lá fora (há um total de 29 lojas no mundo!), aqui há restaurantes para todos os gostos. Como eu estava em um mood light, comi no restaurante de saladas e peixe cru. Boa pedida o salmão cru fatiado. Para acompanhar, peça uma taça de um dos vinhos da casa, ótimos. Na saída, passei pela sorveteria italiana Venchi e escolhi um mix de sorvete de frutas. O empório tem muitas opções, algumas que só encontradas lá, achei o preço um pouco salgado, mas vale o passeio. Avenida Presidente Juscelino Kubitschek 1489, tel. (11) 3279-3300.
Nakka: no momento este é o meu restaurante japonês preferido na cidade.
Os sushis, sashimis e entradas são excelentes e, para o padrão do restaurante, o preço não chega a ser tão alto se comparado a alguns de seus concorrentes na redondeza. De entrada, sugiro o carpaccio de salmão trufado, depois o baterá de salmão e atum, os sushis massaricados, o djo com ovo de codorna trufado e o sushi de Kobe beef (foto abaixo). Maravilhosos! Rua Pedroso Alvarenga 890, tel. (11) 2594-2577. prato Nakka
Side: endereço que está super in, o Side é um restaurante e bar ideal para comer, beber e ver gente bonita. A lateral da casa dá para uma vila supercharmosa no Itaim e a decoração moderna e ao mesmo tempo retrô chama a atenção. A cozinha é contemporânea, comandada pelo chef Thiago Maeda, que trabalhou três anos com Alex Atala. Os drinques são ponto alto da casa, de autoria da bartender Talita Simões. Rua Tabapuã 830, tel. (11) 3168-0311.
Bossa: nova casa de Renato Ratier, o proprietário da nightclub D.Edge, o Bossa foi concebido e para ser um espaço multifunctional, misto de bar, restaurante e estúdio de produção musical, que funciona por 24 horas.
Bossa restauranteOu seja, você pode ir para o café da manhã, almoço, jantar, drinque ou na madrugada. A arquitetura modernista, assinada por Marcelo Rosenbaum e Muti Randolph, impressiona. Fui para jantar. No menu variado da cozinha criativa, deliciosos os espetinhos (provei o de mini lula ao molho de salsa verde). De prato principal, polvo grelhado, com creme de batata, vegetais tostados, vinagre balsâmico envelhecido e castanha do Pará. De dar água na boca! Alameda Lorena, 2008, tel. (11) 3064-4757.

Manoela Parente colabora com WHIZ com dicas de restaurantes nos quatro cantos do mundo.

À mesa em São Paulo

Miya

Onde comer na capital paulista? Chef de mãos cheias, a banqueteira Manoela Parente (do Manu Parente Gastronomia) estreia no WHIZ suas dicas de restaurantes. Em São Paulo, selecionou quatro que estão na moda. Na foto acima, Miya.

Miya: neste restô de cozinha contemporânea, em Pinheiros, as paredes são descascadas com tijolo à mostra e o menu é baseado em comida ocidental com leve toque oriental. Uma delícia para ir a dois. Rua Fradique Coutinho, 47 Pinheiros, tel. (11) 2359-8760.
Tappo Trattoria: um bistrô italiano, bem pequeno e aconchegante, com massas maravilhosas. lagosta tappoQuando fomos, pedimos as massas ao vôngole e com lagosta (foto ao lado). As duas perfeitas! Vale a pena esperar por uma mesa. Rua da Consolação, 2967, tel. (11) 3063-4864.
Ema: da mesma proprietária do Marakuthai, o Ema tem decoração que faz jus ao nome. Vários quadros que retratam emas e cadeiras com emas pintadas compõem o ambiente. De entrada? Casquinha de siri com flocos de arroz ou lula a dore com maionese de limão. Uma melhor que a outra! Faça reserva. Rua da Consolação, 2902, tel. (11) 98232-7677.
Minato Izakaya: este japonês é superconcorrido em Pinheiros, afinal são poucos lugares em um balcão arredondado. tartar de atum minatoAmbiente bem despojado e o cardápio, escrito à mão, tem ótimas opções, como o tartar de atum com gema de ovo em cima (foto ao lado) e as folhas de acelga fritas com tartar de salmão e ovas. De dar água na boca! Rua dos Pinheiros, 1308, tel. (11) 3814-8065.

Todo mês, Manoela Parente colabora com WHIZ com dicas de restaurantes nos quatro cantos do mundo.    

 

 

Provence à mineira

Provence4

Dica de pousada super romântica em Monte Verde (SP): Provence Cottage & Bistrô. Emoldurada pela Serra da Mantiqueira e imponentes araucárias, entre suas casinhas de arquitetura provençal francesa, uma profusão de plantas, flores, cores e perfumes salpica o jardim. Nos seis chalés, enxovais Trussardi, máquina Nespresso, TV de plasma, amenities L’Occitane e hidro – para citar alguns dos mimos e luxos. No Chalé Cassis, o mais alto da propriedade, há um ofurô estrategicamente posicionado na varanda.
Provence3A decoração, um capítulo à parte. Móveis e objetos pinçados de antiquários, mesclados a um leve toque moderno e combinados com capricho. Os proprietários, Ari Kespers (foto) e Whitman Colerato, cuidam pessoalmente de todos os detalhes da estada. Na horta orgânica, são cultivados os ingredientes que compõem os pratos da gastronomia exemplar.
Provence
O café da manhã é servido até o meio-dia e à francesa, e o “chá das cinco” é entregue nos chalés todas as tardes. Prepare-se para a comilança! No jantar, a chance de provar o menu degustação preparado por Ari. Consomê de galinha com angu de fubá e couve – uma “galinha caipira chique”, como brinca Ari –; Ravióli de banana da terra e manteiga de sálvia; Leitão a baixa temperatura, mil-folhas de batata e pé-de-moleque. Ah, a salada! Uma explosão de sabores. Vale a visita já!!!

Por Flavia Perin, especial para o WHIZ

Os melhores restaurantes da América Latina

Todos os chefs premiados pelo Latin America's 50 Best Restaurants - Foto Latin America's 50 Best Restaurants

Lima, no Peru, foi palco da premiação do Latin America’s 50 Best Restaurants 2014, que elegeu os melhores restaurantes da América Latina. A cerimônia foi realizada no Country Club Lima Hotel, na noite do último 3 de setembro. Essa foi a segunda edição da premiação, organizada pela revista britânica Restaurant. Nove restaurantes brasileiros aparecem no ranking: D.O.M, Maní, Mocotó, Roberta Sudbrack, Remanso do Bosque, Olympe, EpiceAttimo e Fasano. Só o México teve mais restaurantes na lista (10) do que o Brasil. Para escolher os melhores, todos os 225 jurados listam sete restaurantes, por ordem de preferência, em que tenham comido nos últimos 18 meses, sendo que pelo menos três devem ser de fora de seu país de origem. Na foto acima, os 50 chefs premiados. Abaixo, os 10 primeiros restaurantes colocados!

1º – Central (Lima, Peru): comandado pelo jovem e talentoso chef  Virgilio Martinez, o Central fica em uma rua escondida do charmoso bairro de Miraflores. O salão, repleto de luz natural, tem vista para a cozinha aberta, de onde saem pratos autênticos peruanos. Com ingredientes amazônicos e indígenas, vegetais orgânicos e técnicas elaboradas, o menu impressiona até os paladares mais refinados. O menu degustação – com oito pratos preparados à perfeição – é a melhor pedida da casa. Na foto abaixo, o chef Virgilio Martinez e Pía León.
O chef Virgilio Martinez e Pía León, do Central, eleito o melhor da América Latina -Foto Latin America’s 50 Best Restaurants

2º – Astrid y Gastón (Lima, Peru): a dupla de jovens chefs Astrid e Gastón mescla os sabores locais aos asiáticos em uma saborosa e criativa culinária de fusão. O restaurante já é famoso em muitos lugares onde mantém filiais, como Chile, Colômbia, Argentina, México e Espanha. A casa ficou no bairro de Miraflores durante 20 anos, até que este ano reabriu no antigo complexo Casa Moreyra, que passou por reforma. Recentemente, Gastón anunciou que deixará a direção da casa, que agora será responsabilidade de sua esposa, Astrid, e do chef Diego Muñoz, que trabalha lá há dois anos.
3º – D.O.M. (São Paulo, Brasil): em 2013, o restaurante de Alex Atala já apareceu na lista, na 2ª posição. Desta vez está em terceiro lugar e o chef também recebeu o prêmio pelo “Conjunto de sua Obra”. Priprioca, cupuaçu, açaí tucupi… Foram esses ingredientes amazônicos que deram notoriedade a Alex Atala. Curioso pelas iguarias existentes em solo nacional, ele cria pratos mesclando produtos típicos e receitas tradicionais. Na foto abaixo, Alex Atala recebe prêmio.
O chef brasileiro Alex Atala recebe o prêmio pelo Conjunto de sua Obra - Foto Latin America’s 50 Best Restaurants
4º – Maní (São Paulo, Brasil): em um ambiente informal e feminino, Helena Rizzo e Daniel Redondo conseguiram algo até então inédito no Brasil – expressar, com uma técnica perfeita, a complexidade da natureza brasileira em toda a sua diversidade, dando vida a pratos multiculturais.
5º – Boragó (Santiago Chile): em um casamento perfeito entre a gastronomia endêmica, baseada em elementos da terra e ingredientes orgânicos, e a cozinha molecular, que usa, entre outros elementos, o nitrogênio para modificar a textura dos alimentos, o Boragó oferece uma experiência gastronômica única. Apesar de servir a la carte, a melhor opção é o menu-degustação de 8 pratos harmonizados com vinhos ou sucos. Já no momento da reserva, a hostess busca saber os gostos do cliente, e uma segunda visita deve ser notificada, assim os chefs elaboram pratos diferentes.
6º – Pujol (Cidade do México, México): com um ambiente elegante e discreto, o restaurante também está entre os 50 Melhores Restaurantes do Mundo pela revista Restaurant. A culinária é comandada pelo consagrado chef Enrique Olvera e serve cardápio nacional e internacional, que muda sazonalmente. A carta de vinhos é excelente.
7º – Maido (Lima, Peru): o restaurante faz uma combinação perfeita da culinária japonesa tradicional e a “nikkei”. Proprietário e chef, Mitsuharu Tsumura serve desde sushis e sashimis frescos até pratos que incorporam ingredientes peruanos tratados com a polida técnica japonesa.
8º – Biko (Cidade do México, México): também listado entre os 50 Melhores Restaurantes do Mundo pela Restaurant, o Biko oferece pratos internacionais e especialidades locais, todos apresentados de forma muito criativa.
9º – Tegui (Buenos Aires, Argentina): em um dos restaurantes mais cults de Buenos Aires, os visitantes são surpreendidos assim que chegam, ao passar por uma pequena porta preta rodeada de muros grafitados. A cozinha é um grande laboratório onde o chef Germán Martiteguis prepara pratos irretocáveis. Prove a terrine de coelho com pera, molho tártaro e pistache. Para uma experiência portenha, vá de sirloin argentino com chimichurri, batatas cozidas em carvão, ovos e farofa.
10º – Quintonil (Cidade do México, México): desde 2012, ano de sua abertura, o restaurante começou a despontar na capital mexicana. O chef e co-proprietário Jorge Vallejo já trabalhou no Pujol, onde obteve grande parte de sua experiência. Para se sobressair, utiliza ingredientes nativos e alimentos locais fornecidos por produtores artesanais, em um revival de receitas tradicionais mexicanas.

Por Equipe Teresa Perez 

Os 10 melhores restaurantes do mundo

11 - 0. imagem generica crédito The Restaurant

O Noma voltou. Depois de perder três anos de reinado para o espanhol El Celler de Can Roca em 2013, o restaurante dinamarquês do chef René Redzepi retomou o seu posto de melhor do mundo em 2014. O prêmio foi anunciado pela revista britânica The Restaurant, na premiação considerada o Oscar da gastronomia, que anualmente elege os 50 melhores restaurantes do mundo. Alex Atala foi eleito o melhor chef, enquanto seu restaurante, D.O.M, caiu uma posição, e figura como o 7º da lista. Outro brasileiro do ranking, o Maní saltou do 46º para o 36º lugar e sua chef, Helena Rizzo, premiada a melhor chef mulher do planeta. Conheça os 10 melhores restaurantes do mundo.

16 - 1 – Noma [Copenhague, Dinamarca] crédito The Restaurant1º – Noma (Copenhague, Dinamarca): localizado em um antigo depósito, o Noma é comandado pelo chef René Redzepi e seus mais de 25 cozinheiros, de diversas nacionalidades. No cardápio, opções de pratos da culinária local apresentadas de maneira criativa.
2º – El Celler de Can Roca (Girona, Espanha): o famoso restaurante (foto abaixo) é dirigido por três irmãos, que juntos se dividem na cozinha e harmonização dos pratos. A culinária é inventiva e sua adega abriga mais de mil rótulos.
17 - 2 – El Celler de Can Roca [Girona, Espanha] crédito The Restaurant 20 - 3 – Osteria Francescana [Modena, Italia] (2)3º – Osteria Francescana (Modena, Itália): comandada pelo chef Massimo Bottura, a Osteria oferece pratos que têm como base a tradicional cozinha italiana, elaborados com os melhores ingredientes locais — a apresentação, no entanto, é criativa e brinca com diferentes formas, sabores e texturas.
4º – Eleven Madison Park (Nova York, Estados Unidos): com culinária assinada pela renomada rede Relais & Châteaux‎, o restaurante (foto abaixo) serve pratos internacionais com toques franceses. Ambiente elegante, excelente atendimento e ótima carta de vinhos são os destaques. Detail of the dining room of Eleven Madison Park, NY. 24 - 5 – Dinner by Heston Blumenthal [Londres, Inglaterra] crédito The Restaurant
5º – Dinner by Heston Blumenthal
(Londres, Inglaterra): apesar da modernidade que coloca em seus pratos, o chef Heston Blumenthal quer recriar a história da culinária britânica. Para isso, utiliza receitas que datam do século 14, adicionando toques do século 21, seja pelos ingredientes ou os métodos. Participar de uma refeição dessas é uma deliciosa viagem no tempo, com muitas surpresas.​
6º – Mugaritz (San Sebastián, Espanha): a culinária do Mugaritz (foto abaixo), assinada pelo chef Andoni Aduriz, apresenta criatividade e sabores inovadores. Os pratos são elaborado com os mais frescos ingredientes dos mercados locais e da horta do restaurante. 1 - ​​6 – Mugaritz [San Sebastian, Espanha] crédito The Restaurant 4 - ​​7 – D.O.M [Sao Paulo, Brasil] crédito The Restaurant
7º – D.O.M
(São Paulo, Brasil): priprioca, cupuaçu, açaí tucupi… Foram esses ingredientes amazônicos que deram notoriedade a Alex Atala, proprietário do D.O.M., desde 2011 nos top 10 da lista dos melhores restaurantes do mundo. Curioso pelas iguarias existentes em solo nacional, o chef cria pratos mesclando produtos típicos com a cozinha tradicional. 6 - ​​8 – Arkaz  [San Sebastian Espanha] crédito The Restaurant
8º – Arzak
(San Sebastián Espanha): um restaurante familiar, com ambiente elegante e decoração composta por obras de design contemporâneo. A culinária é criativa, com fortes influências locais.

9° – Alinea (Chicago, Estados Unidos): o chef Grant Achatz tem sido visto como um vanguardista desde que abriu este restaurante em 2005. O sucesso advém de refeições quase experimentais, como a explosão de trufa com batata fria e batata quente. Seu menu degustação é composto por cerca de 15 pratos e é servido em um ambiente moderno. As luzes das quatro salas do Alinea (foto abaixo) mudam de acordo com o momento da refeição, para intensificar a experiência. 7 - ​​9 – Alinea [Chicago, Estados Unidos] crédito The Restaurant 10 - ​​10 – The Ledbury [Londres, Inglaterra] crédito The Restaurant
10° – The Ledbury (Londres, Inglaterra)
: este restaurante é um dos motivos que faz de Notting Hill um lugar especial. A estrela do show é o chef australiano Brett Graham, que surpreende seus clientes com pratos criativos e bem apresentados.
Veja a lista completa em The Worlds 50 Best Restaurants 
Por Equipe Teresa Perez

5 novos restaurantes em São Paulo

le Bilboquet Sao Paulo travel whiz

Há muitas novidades no cenário gastronômico paulistano. WHIZ garimpou 5 top restaurantes que acabam de abrir as portas. Na foto, Le Bilboquet.

Myk: Rua Peixoto Gomide, 1.972, Jardim Paulista, tel. +55 (11) 2548-5391. Ao entrar neste restaurante que fica no local do antigo Pasta & Vino, a sensação é a de estar em Mykonos. Grego, badalado, possui dois ambientes, um deles com atmosfera balada. Pratos deliciosos à base de frutos do mar.
Le Bilboquet: Rua Vittorio Fasano, 49, tel. +55 (11) 2615-1510. Filial do famoso e badalado restô francês em Nova York, possui até o mesmo cardápio e é lugar para ver e ser visto.
Osaka: Rua Amauri, 234, tel. +55 (11) 3073-0234. Quem conhece os restaurantes Osaka em Buenos Aires, México, Chile ou Peru vai gostar da filial paulistana. No menu de cozinha com influências tailandesa, japonesa, chinesa e peruana, há ceviches deliciosos e ótimas opções de pratos quentes orientais.
hot dog pan The Fishermans Table Sao Paulo travel whiz  The Fisherman’s Table: Rua Pedroso Alvarenga, 554, tel. +55 (11) 3167-3605. Dos mesmos proprietários do concorrido Butcher’s Market, uma brasserie asiática no Itaim. A melhor pedida é o “hotdog pan” (lagosta na manteiga com cebolete no pão de hotdog, acompanha batatas fritas; foto ao lado).   
Geiko-San:
Rua Haddock Lobo, 1416, tel. +55 (11) 3061-0150. Japonês contemporâneo nos Jardins, pertence aos sócios que tocam o Serafina e foi inspirado no Geisha Table, o japonês do grupo do Serafina em Nova York. O forte da casa é o mix das cozinhas italiana e japonesa. Que tal panini de sushi?

Colaborou Manoela Parente

5 pousadas românticas

Maua Brasil  Chalé

Há quem procure um recanto para dois para esquecer de tudo e viver dias de romance. Sem crianças por perto. Pensando nesses casais, muitas pousadas e hotéis não aceitam os menores (geralmente só a partir de 14 ou 16 anos) e investem no conforto e nas mordomias para os românticos. Aproveite o mês dos namorados para fugir da cidade. As crianças ficam!

1) Mauá Brasil (fotos acima e abaixo): nas montanhas da Serra da Mantiqueira, em Visconde de Mauá, distante cerca de 300 km da capital, a pousada é resultado da experiência de seu proprietário, Osvaldo Caniato, de se hospedar e comer bem em viagens mundo afora. Ao todo, são 15 chalés diferentes na arquitetura e decoração, com lareira, lençóis Trussardi e banheira de hidromassagem dupla com vista panorâmica. Se não estiver na acomodação, o casal tem sauna seca, sala de massagem, quadra de tênis, piscina, ofurô e fitness à disposição. Ou então, cavalgadas ecológicas e passeios à cachoeira. Diárias a partir de R$ 780 (fim de semana), com brunch.
Mauá Brasil

2) Ronco do Bugio (foto abaixo): seu nome teve inspiração no som emitido pelo macaco bugio, uma das muitas espécies encontradas nesta área de 12 alqueires de Mata Atlântica em Piedade, a 100 km de São Paulo. Na  decoração, móveis antigos e muitas peças de artesanato. No quintal dos 13 chalés, redes, espreguiçadeiras ou ofurôs convidam a relaxar em meio à natureza. Detalhe: o café da manhã vai até as 16h. O Ronco tem também piscina, sauna, DVDteca, trilhas, um espaço terapêutico e sala de ginástica. O restaurante oferece uma carta de vinhos com harmonização com os pratos. Um exemplo? O Malbec 2009 – Luigi Bosca (Argentina) vai bem com o “Ragu de Costela com nhoque de mandioca”. Diárias a partir de R$ 594, com café.
Ronco Do Bugio
3)
Quinta dy Engenho (foto abaixo): apenas 60 km separam São Paulo deste hotelzinho em São Roque. Erguido no estilo das antigas fazendas coloniais, o Quinta tem 17 suítes, todas com varanda e vista para o verde infinito. Confortos são muitos: de camas super king a lençóis da grife Trussardi, lareira ecológica e banheira de imersão abastecida com água que vem da nascente. Produtinhos da Natura acompanham o banho dos românticos. Se for sair da suíte, o hotel abriga duas piscinas, um spa com saunas e ofurô e trilhas para caminhada. À mesa, delícias da cozinha brasileira com ingredientes orgânicos cultivados na horta. Diárias a partir de R$ 791, pensão completa.
Quinta dy Engenho ofuro
4)
Chapéu de Palha (foto abaixo): quando montaram esta pousada em São Francisco Xavier (159 km de São Paulo), em 2006, os arquitetos Claudio Daniel Rodrigues e Mônica Gallon sabiam exatamente quem queriam atrair. “Casais dispostos a se curtir, namorar e viver uns dias aconchegados, esquecendo da vida”, declaram. Só cinco. As cabanas são rústicas, com palha e tijolo aparente, e todas têm ofurô, seja na varanda com vista para o Vale de Santa Bárbara ou no quarto. Mimos incluem champanhe e café da manhã sem hora para acabar. E se quiser relaxar ainda mais, há um centro de bem-estar que propõe banhos terapêuticos e massagens. Pacote de duas noites (fim de semana) a partir de R$ 1.300 por casal, com café.
Chapeu de Palha

5) Lake Villas Charm Hotel (foto abaixo): lagos, colinas e cachoeiras compõem a área de 4 milhões de metros em que está situada este hotel, em Amparo, a 130 km de São Paulo. Tudo isso para 16 hóspedes privilegiados. Só oito villas hospedam com todo luxo, como menu de lençóis e travesseiros e produtos da marca italiana Bulgari, da linha Au The Vert (Chá Verde), nos banheiros. No mês dos namorados, o Lake Villas oferece três programas exclusivos para os românticos: um piquenique gourmet no nascer ou pôr-do-sol em meio à natureza, jantar especial à luz de velas e uma tarde de terapias no spa, que também tem os produtos Bulgari. Senão, há quadras de tênis, piscina aquecida e natural e fitness center. Diária a partir de R$ 1.610 por casal (fim de semana). Programas românticos à parte.
Lake Villas

Matéria publicada por Antonella Salem no Diário do Comércio

Temporada na fazenda

Fazenda Capoava

Tirar leite da vaca, andar a cavalo, saborear delícias brasileiras e, ainda, fazer uma imersão na história do País. Passar um fim de semana ou feriado em uma antiga fazenda no interior de São Paulo, transformada em hotel, pode ser uma ótima ideia. WHIZ visitou três.

Fazenda Capoava
: em Itu, a propriedade de quase três séculos acolhe com serviço impecável e muita diversão. Na casa-sede do período de engenho de açúcar (1750) é possível comer na grande mesa de jantar. Muitos dos chalés, simples e charmosos, são duplex. Na farta programação, cavalgadas (parte da fazenda é destinada à criação de cavalos crioulos), jogos, trilhas e o adorado Passeio dos Bichos (foto abaixo), durante o qual os pequenos têm contato ou alimentam espécies preservadas lá. De araras a jabutis, corujas e até uma jiboia. Diárias a partir de R$ 944 por casal, com pensão completa.
Fazenda Capoava Passeio dos Bichos
Fazenda Águas Claras: uma autêntica fazenda cafeeira do século XIX em plena atividade. A 20 km de Itapira, o charmoso hotel adaptado no conjunto arquitetônico colonial tem só oito quartos simples e aconchegantes. Entre as atividades, Roteiro Histórico do Café e curso de barista, cavalgadas, ordenha de vacas e banho de cachoeira. Diárias a partir de R$ 592, com pensão completa.
Hotel Fazenda Dona Carolina: o imponente casarão (foto abaixo) chama a atenção logo na chegada. Entre Itatiba e Bragança Paulista, esta é uma das fazendas pioneiras do movimento abolicionista no Brasil, datada de 1872, e transformada em hotel. Além das acomodações superconfortáveis, com enxoval de algodão 300 fios e amenities L’Occitane nos banheiros, há um centro hípico, caprichada programação de lazer (que inclui ordenha de vacas), tour do café e uma cachaçaria que promove degustações. Diárias a partir de R$ 881 por casal, pensão completa.
Fazenda Dona Carolina

São Paulo turística em uma bike

Edifício Copan

Edifício Copan

Em comemoração ao aniversário da cidade, uma dica de programa novíssimo. Especializada montar em viagens de bicicleta pelo mundo – da Europa à Argentina –, a agência Bike Expedition lançou passeios de bicicleta por São Paulo. Montados de acordo com o interesse de cada grupo (pode ser pelo Parque do Ibirapuera ou o Mercado Central com parada gastronômica ou até mesmo pelas estradas do interior paulista), a empresa se encarrega de toda a estrutura. Oferece as bicicletas com capacete, guia, mecânico, carro de apoio, isotônicos, kit de mecânica e primeiros-socorros. Preços são sob consulta.
“Globetrotter”, Adriana Kroehne, a proprietária da Bike, fala sobre a novidade.
Adriana da Bike Expedition
Por que São Paulo?
A cidade tem uma grande oferta de pontos históricos, como a Sala São Paulo, a Estação da Luz, a Pinacoteca, Largo São Bento, Praça da Sé, Viaduto do Chá… e os paulistanos não conhecem a história da cidade onde vivem. É uma aula prática sobre São Paulo de bike.
Um dos roteiros que adora? Eu gosto muito do que passa pelo centro da cidade, embora muitos pontos estejam degradados. Outra coisa que gosto muito é de descobrir pontos da ciclofaixa recém-inaugurados. A ciclofaixa veio para confirmar a tendência da bike entrar na vida do paulistano.

Os destinos para visitar em 2013

Rio de JaneiroA Condé Nast Traveller inglesa acaba de divulgar os 10 destinos hot para 2013, segundo a opinião de seus especialistas. No topo da lista está o Brasil. Pois é, os olhos estão voltados para o País, embora ainda falte mais de um ano para a Copa e pouco menos de quatro para a Olimpíada. Rio, São Paulo, Fernando de Noronha e Bahia ficam em destaque no nosso vasto território. Os outros eleitos com potencial para “pegar” são Filipinas (e suas cerca de 7 mil ilhas), Amsterdã (que reabre o Rijksmuseum depois de dez anos), República do Congo (e seus parques com gorilas), Galápagos (de exótica fauna), Caxemira (para esquiar), Riviera Maia (rústico-chic), Nova Zelândia (terra do filme “The Hobbit”), Panamá (novo Caribe cool) e Omã (inexplorado mundo árabe). Vale ficar de olho!
Para as publicações Lonely Planet, os novos hot spots são outros: Sri Lanka, Montenegro, Coreia do Sul, Equador, Eslováquia, Ilhas Solomon, Islândia, Turquia e República Dominicana.
E se quiser fugir de tudo que possa virar moda, uma dica. No New York Times, uma matéria publicada este ano e reproduzida em português no jornal Diário do Comércio, fala de um lugar na costa do Chile com charme contemporâneo, surfe e nenhum estrangeiro: Pichilemu.
Boas viagens em 2013!